FLIR promoverá demonstrações do Nano Drone “Black Hornet” no Brasil

A FLIR Unmanned Aerial Systems® (FLIR UAS), nova divisão da Flir Systems, Inc. formada após a aquisição da Prox Dynamics no final de 2016, irá promover através de seu representante no Brasil EMS Consultoria um tour de demonstração do Nano UAS (Unmaned Aerial System) Black Hornet 2 para operadores militares, de segurança pública e de defesa civil. Trata-se de um Sistema Aérea Não Tripulado.

Sargento Carl Boyd, do 1º Batalhão Real de Fusileiros com um helicóptero Black Hornet. O mini espião no céu foi utilizado no Afeganistão.
Sargento Carl Boyd, do 1º Batalhão Real de Fusileiros com um helicóptero Black Hornet. O mini espião foi utilizado no Afeganistão. Foto: SWNS TV.

As demonstrações irão ocorrer entre os dias 21 e 30 de agosto nas capitais que possuem maior concentração de operadores interessados. Os órgãos que quiserem conhecer melhor o sistema deverão enviar um e-mail para [email protected] ou pelo telefone 11 98415-3012, com Denis Cardoso. Segundo os organizadores ainda existem vagas disponíveis para a demonstração.

Após este período de apresentações, está programada a exposição e novas demonstrações do Black Hornet 2 no 6º Encontro Nacional de Aviação de Segurança Pública e Defesa Civil – ENAvSeg 2017, que ocontecerá em conjunto com o Congresso Internacional de Bombeiros e Emergências – CIBE BRAZIL 2017, em Goiânia, no período de 13 a 15 de setembro de 2017.

“Acreditamos que as demonstrações e a exposição na CIBE BRAZIL 2017 serão insuficientes para atender a todos os interessados em conhecer este novo equipamento, que já está sendo comercializado em outros países há mais de quatro anos e agora conta com toda a segurança oferecida pelo nome Flir, por este motivo estamos importando um sistema que será mantido no Brasil para demonstrações aos eventuais interessados que não puderem ser atendidos no tour de demonstração e na CIBE BRAZIL 2017”, disse Edward Starr, diretor da EMS Consultoria.

Sobre o Nano UAS Black Hornet 2

Denominado Sistema de Reconhecimento Pessoal (Personal Reconnaissance System – PRS), o equipamento é composto pelos nano-sensores aéreos Black Hornet e seu sistema de controle e monitor, compondo um sistema compacto e que pode ser lançado manualmente por uma pessoa em campo, permitindo uma vantagem significativa na consciência situacional e planejamento de missão.

O sensor aéreo Black Hornet utiliza uma micro câmera térmica Lépton da FLIR Systems, além de câmeras no espectro visível e possui rotor de baixo consumo de energia e avançada tecnologia e software para controle de voo, estabilização e comunicações.

O SISTEMA PERMITE DEFINIR WAYPOINTS COM ANTECEDÊNCIA. (FOTO: PROX DYNAMICS)
O sistema permite definir waypoints com antecedência. Foto: Prox Dynamics.

O helicóptero Black Hornet é atualmente o drone furtivo mais leve e mais seguro disponível no mercado, oferecendo uma solução de vigilância altamente avançada para as forças militares tradicionais e forças de operações especiais. Pesando menos de 20 gramas, o helicóptero Black Hornet pode voar por até 25 minutos a uma distância de até 1,6 km do operador.

Por suas características de portabilidade, furtividade e facilidade de operação, o Nano UAS Black Hornet é um sistema tático destinado efetivamente ao uso pessoal por integrantes de grupos de forças especiais diretamente envolvidas na operação. O sistema pode ser utilizado por qualquer integrante do grupo totalmente equipado com seus apetrechos normais de missão e não requer um operador exclusivamente para seu transporte e operação.

Os sistemas PD-100® PRS da Flir UAS já estão em uso pelas forças armadas de 19 países aliados da OTAN, e graças a sua simplicidade operacional, o treinamento básico para se tornar um operador desse equipamento leva apenas dois dias.

Deixe uma resposta

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência

Os comentários não representam a opinião do Piloto Policial. Os comentários são de responsabilidade dos respectivos autores.

Comentários

comentários