OSCIP denominada CIOPAM/SAR pretende atuar em operações aéreas de defesa civil e transporte de órgãos

São Paulo – No dia 12 de Julho de 2017, o Comandante Robson Fabiano, presidente do Centro Integrado Operações Aéreas de Multimissão (CIOPAM), esteve com o Dr. Rogério Luiz Zeraik Abdalla, Secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) do Ministério da Saúde com o objetivo de pleitear possível parceria entre o CIOPAM/SAR, o Ministério da Saúde e o Ministério da Defesa para a implantação do SDTO-Aer – Sistema Dedicado de Transporte Aéreo de órgãos, tecidos e células para transplante, ligado diretamente ao SNT – Sistema Nacional de Transplante.

Comandante Robson Fabiano e Dr. Rogério Luiz Zeraik Abdalla, Secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde.
Comandante Fabiano e Dr. Abdalla da SGTES.

Segundo informou o CIOPAM, o Secretário Abdalla reforçou seu compromisso e sua dedicação ao projeto e deu seguimento aos tramites para vinculação também ao Ministério da Defesa.

“A partir deste momento estamos aguardando os tramites burocráticos para a consolidação de nosso Termo de Parceria com o Governo Federal, visando o inicio de nossas operações aéreas de transporte de órgãos. Sabemos da responsabilidade da nossa instituição que se sente muito honrada em cumpri-la”, disse Robson Fabiano, presidente do CIOPAM/SAR.

Saiba mais sobre o CIOPAM/SAR

O CIOPAM – Centro Integrado de Operações Aéreas de Multimissão, Defesa Civil e Educação Aeronáutica do Brasil, designado como CIOPAM/SAR, instituído em 10/10/2009, é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, reconhecida e qualificada pelo Ministério da Justiça sob o Processo Nº 08071.019533/2014-47 (Antiga designação de INSTITUTO ARAUCÁRIA), sob o CNPJ: 20.857.282/0001-55, baseado atualmente no aeroporto Campo de Marte/SP, zona norte da capital paulista.

Equipe do CIOPAM/SAR
Equipe do CIOPAM/SAR

O CIOPAM/SAR tem como objetivo principal a salvaguarda da vida humana, exercendo atividades voltadas a ações humanitárias, de defesa civil (calamidades públicas e emergências), de transporte de órgãos para transplantes, missões SAR (busca e salvamento), de preservação ambiental, de atendimento as urgências e emergências médicas-APH, entre outras atividades.

As equipes do CIOPAM/SAR são compostas por voluntários, não remunerados, de diversos segmentos como: Comandantes (de aviões e helicópteros), Médicos, Enfermeiros, Socorristas, Auxiliar de enfermagem, Militares da reserva das forças armadas e policiais, Bombeiros, entre outros.

Por enquanto o CIOPAM/SAR conta com aeronaves terceirizadas, locadas ou disponibilizadas por empresários simpatizantes a causa da instituição, mas pretende adquirir aeronaves próprias entre aviões e helicópteros pois desejam expandir seu atendimento aos demais estados.

ciopamsar2

“Precisamos da colaboração de todos, pois dependemos de doações e patrocínios – que podem ser dedutíveis no Imposto de Renda – , mas principalmente precisamos de parcerias governamentais (Saúde, Meio Ambiente, Defesa Civil, Defesa e Justiça) para continuar com nossos trabalhos, caso contrário, teremos grandes dificuldades em seguir a diante”, disse Fabiano.

“Buscamos ainda, junto às Forças Armadas e Receita Federal, a doação de aeronaves e equipamentos que estejam inviabilizados para as atividades militares ou apreendidos, mas que ainda possam ser úteis às ações humanitárias como o transporte de órgãos para transplante, a vigilância ambiental, o combate a incêndios florestais e até mesmo ações de resgate e salvamento”, complementou o Comandante Fabiano.

Fabiano salienta ainda que está em tratativa com a ANAC (Agencia Nacional da Aviação Civil) e com SAC (Secretaria da Aviação Civil) do Ministério dos Transportes, a possibilidade do CIOPAM/SAR receber tratamento assemelhado às Unidades Aéreas Públicas (UAP), conforme a proposta do RBAC nº 90 que está em trâmite na ANAC para ser colocada em audiência pública. O Brasil não possui legislação específica sobre o assunto, como acontece em países como a Alemanha, Itália e Estados Unidos da América.

Outras atividades que estão no foco do CIOPAM/SAR:

  • O combate aos balões e a prática ilegal de balonismo no Brasil (balões não tripulados);
  • O combate à proliferação do “Aedes Aegypti” com a utilização de helicópteros de pequeno porte;
  • Parceria com órgãos aeronáuticos para investigação de acidentes com aeronaves de até 2.250Kg conforme PSO-BR, e
  • Parceria com escolas de aviação e aeroclubes para incentivo aos alunos, fomentando a aviação civil e a formação de qualidade dos novos profissionais aviadores.

3 COMENTÁRIOS

  1. Achei excelente essa forma de atuação. Não conheço nenhuma instituição no Brasil como essa, vi algo parecido na Alemanha que funcionava de forma excelente. Parabens ao seu idealizador, acredito que esse seja o futuro do país, o governo e a população em conjunto para atender as necessidades de todos com serviços de qualidade e custos mais baixos para a união.
    Deveriam ir atras de apoio de empresas também, acho uma boa opção para custear as operações.

    Grande abraço.

    Sergio Rodrigues

  2. “Combate aos Balões” é uma coisa, “Combate ao Balonismo” é outra.
    O Balonismo é esporte aéreo secular de alta tecnologia, praticado conforme regulamentação federal, em áreas específicas, conforme legislação.
    Não pode ser “combatido”, pois é legal e previsto.
    A OSCIP está muito no início ainda, para se indispor com todos!

    • Prezado Sr. Luiz Fernandes,
      Esclarecemos que explicitamos os nossos objetivos operacionais de forma clara para que não haja dúvidas sobre nossa atuação, e exatamente por esta questão que deixamos claro o combate ao balonismo ILEGAL, se usamos a palavra ilegal, não nos dirigimos a pratica de balonismo devidamente legalizada, qual respeitamos e muito. O que propomos é o combate a forma indiscriminada da soltura de balões quais foram responsáveis pelo rebaixamento da segurança de nosso espaço aéreo Brasileiro, inclusive motivo de algumas companhias aéreas não operarem no Brasil por desacordo com a cobertura de seguro devido a este rebaixamento. Sendo assim espero que tenha esclarecido sua indagação, pois não estamos se indispondo com ninguém que opere de forma legal, seja na área que for. Nossa instituição foi fundada em 2009 e com certeza não estamos no inicio de nossas atividades, atuamos em benefício da população e visamos a segurança da aviação civil qual inclusive qualifica o balonismo legal que reiteramente esclareço que muito o respeitamos. Estamos a sua disposição para maiores esclarecimentos e coloco me a sua disposição caso queira nos visitar e conhecer nossas atividades.
      Grande abraço.

      Cmte. Fabiano
      Presidente do CIOPAM

Deixe uma resposta

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência

Os comentários não representam a opinião do Piloto Policial. Os comentários são de responsabilidade dos respectivos autores.

Comentários

comentários