Helicóptero da Gendarmeria Nacional Argentina cai ao tentar interceptar avião

Anúncio

Um helicóptero da Gendarmeria National Argentina realizou a primeira intercepção de transporte de drogas, detectado pelo radar da Operação Escudo Norte, perto da cidade de Campo Gallo, Santiago del Estero, e apreenderam cerca de 70 kg de maconha.

O Ministério da Segurança informou que durante o procedimento, os traficantes tentaram fugir batendo seu avião em um helicóptero da Gendarmeria, que efetuou um pouso de emergência, porém nenhum dos cinco policiais que estavam a bordo sofreram ferimentos graves.

A operação, chamada de “Pájaro Verde” teve origem na identificação de alguns voos irregulares detectados pelos radares que compõem o “Escudo Norte”, responsáveis pela segurança no nordeste e noroeste da Argentina. Para isso, foi adicionada a visualização de aeronaves a baixa altitude e outras ações de inteligência antigrogas implantadas na área, que orientaram os esforços operacionais em áreas críticas de Santiago del Estero.

Por esta razão, o Centro de Reconocimiento y Operaciones Especiales contra el Narcotráfico y la Unidad de Reconocimientos Especiales “Santiago del Estero” de Gendarmería Nacional enviou uma patrulha terrestre de reconhecimento e uma patrulha a bordo do helicóptero HB350B3, GN-928 do Serviço de Aviação da Gendarmeria.

Os “gendarmes” realizaram uma vigilância discreta na área delimitada com equipamentos especiais, providos de comunicação satélite de algumas áreas indentificadas como possíveis locais de pouso para descarregar a droga

No dia 06/08, por volta das 11h, um posto de observação terrestre avistou um avião que realizaria a entrega de drogas, o que deflagrou a etapa da operação denominada “Pájaro Verde”, com o envio de uma patrulha helitransportada da Gendarmeria, a qual chegou rapidamente ao local, onde acontecia o ilícito, a fim de proceder a detenção dos delinquentes.

Alertados pela presença do helicóptero da Gendarmeria Nacional, o piloto do avião acelerou o motor e tentou fugir do local ilegal de pouso, realizando manobras ousadas na tentativa de decolar e fugir da prisão. O avião dirigiu-se para a pista onde se encontrava o helicóptero da Gendarmeria Nacional.

A perícia do comandante do helicóptero em realizar uma manobra evasiva conseguiu evitar uma colisão direta, levantando-se e fazendo o avião passar por baixo do helicóptero. No entanto, ainda assim o avião tocou no rotor de cauda do helicóptero, causando sua queda, sem que seus ocupantes sofressem ferimentos graves.

Foi acionado o Centro de Controle e Comando de Santiago del Estero para o acionamento da Força Aérea Argentina, onde aviões Pucará prosseguiram no apoio da operação, definindo a localização geográfica do helicóptero acidentado e do avião dos traficantes, que aparentemente também tiveram de efetuar um pouso de emergência.

Um outro helicóptero foi enviado para a região, que resgatou a tripulação acidentada e localizou o avião acidentado à cerca de 1.000 metros do local. Foi constatado que o avião era de matrícula paraguaia (ZP-TIH), permitindo assim obter informações sobre seu proprietário, graças à informação fornecida pela Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) da República do Paraguai. Durante a inspeção da aeronave e seus arredores foram localizados pacotes contendo aproximadamente 70 kg de maconha.

A “Pájaro Verde” é a primeira missão coordenada pela Operação “Escudo Norte”, que integra órgãos federais, policiais e radares militares 3D RASIT para o controle de voos ilícitos.

Confira mais fotos:


Fonte e fotos: Texto editado por Piloto Policial através de Nota de Imprensa do Governo Argentino.


Nota do Site:

A Direção de Aeronáutica de Gendarmeria foi criado em 1955. Em 1959 a unidade foi renomeada para Divisão de Transportes Aéreos, mais tarde seria denominada Subdireção de Aviação, que consistia no Esquadrão de Apoio de Aviação, de Manutenção e Centro de Instrução. Posteriormente, a unidade foi novamente renomeada para Departamento de Aviação da Gendarmeria Nacional.

Hoje, a unidade é chamada Serviço de Aviação (SEAV) da Gendarmeria Nacional, composto pelo Centro de Operações Aéreas, que opera todos os aviões e helicópteros, o Serviço de Manutenção e o Centro de Instrução de Aviação. As aeronaves são usadas em patrulha de fronteira, SAR, transporte e operações antidrogas.

O prefixo da aeronave “GN” (Gendarmeria Nacional) é usado desde 1955 começando com uma série e utilizados por ordem cronológica, ou seja, quando as aeronaves chegaram no país. A partir de 1974 as séries foram alocados em 4 blocos:
– 600 para aviões de treinamento monomotor;
– 700 para aviões bimotor;
– 800 para aeronaves monomotor, e
– 900 para helicóptero. (a aeronave acidentada foi a GN-928)

A Gendarmeria Nacional Argentina opera atualmente em uma base aérea principal e outras oito em aeródromos secundários.

Confira algumas fotos:


3 COMENTÁRIOS

  1. Há de ser lembrado que a sorte nem sempre pode acompanhar a tripulação que combate o crime, ou que executa qualquer outra missão…

    Há de ser lembrado que a obrigação dos pilotos de aviação de segurança pública é zelar, antes de mais nada, pela própria vida e pela vida de cada um dos tripulantes; Que um piloto não leva na aeronave, como aparenta ser, “apenas” 5 tripulantes, leva pelo menos mais 10 pessoas junto, ou seja, leva em cada voo os pais, irmãos, esposa, filhos, amigos, colegas de trabalho, etc…

    Há de ser lembrado que essa responsabilidade deve ser não apenas do piloto em comando, mas sim de todos aqueles que exercem função a bordo da aeronave.

    Há de ser lembrado que a obrigação da tripulação é cumprir a missão da melhor maneira possível, objetiva e eficazmente, sem acidentes ou incidentes e, fundamentalmente, ao final do turno de serviço, regressar sãos e salvos para seus lares.

    Há de ser lembrado que os familiares, esposas, filhos e amigos agradecem!

Deixe uma resposta para Sd. Cavalli Cancelar resposta

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência

Os comentários não representam a opinião do Piloto Policial. Os comentários são de responsabilidade dos respectivos autores.

Comentários

comentários