Estado de Goiás receberá 3 helicópteros AW119 Koala

Após um longo tempo na tramitação de dois processos licitatórios para aquisição de 3 (três) helicópteros para uso do Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Civil e Polícia Militar do Estado de Goiás, cercado de problemas, discussões, recursos, revogações, suspensões, parece que terá um final. (Leia o Acórdão)

No atual processo licitatório (Pregão Presencial Internacional nº 130/2010), pois o anterior fora revogado (Pregão Presencial nº 204/2009), compareceu apenas a empresa Oceanair Táxi Aéreo Ltda (Oceanair), representante da AgustaWestLand. O preço inicial apresentado pela empresa foi de R$ 8.000.010,00, reduzido após os lances para R$ 7.250.000,00, entretanto, ainda acima do preço de referência constante do edital (R$ 6.104.470,39), o que levou à desclassificação da licitante e à declaração de fracasso do certame, conforme Ata de Realização do Pregão nº 130/2010 e Termo de Homologação.

A Comissão Permanente de Licitação da SSP/GO decidiu convocar a Oceanair Táxi Aéreo Ltda para apresentar nova proposta econômica. A empresa manifestou interesse em ofertar os helicópteros no valor de R$ 7.250.000,00, cada, alegando que o preço estava compatível com o de mercado e que as aeronaves ofertadas eram superiores tecnologicamente, no que se refere às exigências técnicas constantes do edital.

Considerando a comprovada superioridade técnica dos equipamentos; a falta de interesse dos concorrentes que não compareceram ao pregão; o fato de ser a segunda tentativa de licitação, novamente frustrada; a exiguidade de tempo para montar novo processo licitatório e adquirir os helicópteros antes de 26/12/2010, data final de vigência dos convênios firmados com o Ministério da Justiça e já prorrogados por um ano; e, especialmente, existência de recursos financeiros para a aquisição dos equipamentos no preço proposto, tendo em vista o aporte financeiro a ser efetuado pelo Estado de Goiás; a Comissão Permanente de Licitação requereu autorização do Secretário de Segurança Pública para firmar o contrato com a referida empresa.

A autorização foi concedida, com fundamento nos pareceres técnicos e jurídicos expedidos pela Procuradoria-Geral do Estado e Despacho do Procurador-Geral do Estado de Goiás; parecer sobre a proposta da empresa Oceanair, emitido pela Comissão Técnica Mista de Convênio para Aquisição de Helicópteros e Parecer da Assessoria Geral da SSP/GO.

Segundo o que ficou acordado a empresa se comprometeu a entregar os três helicópteros até o dia 10/12/2010, assim o Pregão nº 130/2010 foi adjudicado à Oceanair em 2/8/2010, conforme Ata de Realização do Pregão n° 130/2010 e o instrumento contratual já foi assinado e aguarda outorga da PGE.

A partir dai a empresa, Helicópteros do Brasil S.A. (Helibras), que não participou do certame, ingressou com Representação, com pedido de cautelar, perante o Tribunal de Contas da União. O principal motivo alegado foi a “exiguidade do prazo de entrega do objeto licitado”, previsto para 10/12/2010. Na representação foram apresentadas várias alegações, desde o prazo para entrega dos helicópteros, como 0 preço das aeronaves, além dos princípios constitucionais da legalidade, isonomia, igualdade, impessoalidade, etc, entretanto, tal pedido não prosperou.

Segundo alegação da Helibras, a empresa não participou do certame pois não teria condições técnicas de entregar as 3 aeronaves no prazo determinado pelo edital, além de dizer que nenhuma empresa do mercado de helicópteros estaria em condições de entregar três aeronaves no prazo previsto no edital, a não ser que, para atender à demanda da SSP/GO no prazo pretendido, as aeronaves fossem adquiridas de três empresas diferentes.

Finalizando o assunto, em 24 de agosto de 2010, foi publicado, o bem fundamentado, Acórdão Nº 5294/2010 – TCU – 1ª Câmara, considerando a referida representação, no mérito, IMPROCEDENTE, assim, ao que parece, esse embate chegou a um final, cuja vencedora do certame foi a população de Goiás.

Vamos conhecer um pouco essa aeronave

A aeronave AW119 Koala é um helicóptero monoturbina, com capacidade para oito pessoas, desenvolvido visando a segurança, desempenho e preço competitivo. O grande espaço livre na cabine permite uma rápida configuração para uma variedade de missões, como transporte de passageiros, resgate e transporte aeromédico, apoio policial, entre outros.

Confirmando-se a compra, o Estado de Goiás será o operador inaugural do A119K em atividades de segurança pública no Brasil. Lembrando que as polícias das cidades de Nova York (NYPD) e Phoenix, entre outras, já operam tal aeronave em atividades semelhantes.

AW119K Koala do New York Police Department / Foto : Agusta Westland

Veja aqui as especificações completas do AW119Ke.

Parabéns aos perseverantes pela conquista e bons voos !


Fonte: Acórdão Nº 5294/2010 – TCU – 1ª Câmara, por Eduardo Alexandre Beni para Piloto Policial


Comentários Para "Estado de Goiás receberá 3 helicópteros AW119 Koala"

  • Paulo Dantas disse: agosto 30, 2010 às 07:13 pm
    Tomei conhecimento desse site há pouco tempo e essa notícia só reforça uma opinião que tenho a respeito da Helibras que se julga a dona não só da Aviação de Segurança Pública, mas do Brasil. Aonde já se viu: anular uma licitação porque a empresa não teria condições de entregar os bens licitados. É muita prépotência! Já cansei de escutar os casos absurdos da Helibras. Ela deita e rola nas costas de todo mundo. Parabéns aos que decidiram comprar essa briga. Parabéns, mesmo. Por outro lado, tem que ver se a OceanAir vai ter bala na agulha pra segurar essa. Eles praticamente deram os helicópteros para o Estado. Pelo menos por enquanto que ao que tudo indica o contrato não foi assinado. Vamos esperar as manutenções e a disponibilidade das aeronaves pra termos mais clareza sobre os fatos. Quem conhece o Koala sabe que ele não é brinquedo, não. Tudo é caro e tudo demora. Um abraço, Paulo. Nota do site: Sr Paulo, atualizamos a informação e o contrato ja foi assinado e aguarda outorga da PGE. Responder
  • Ramos disse: agosto 30, 2010 às 07:43 pm
    Isso e uma grande verdade. A montadora nacional do esquilos quer ser a dona do mercado brasileiro de helicopteros de AvSegPub. Ela pratica seus precos conforme a cara do cliente. Acho que ja passou do tempo da Comissao de Aviacao de Seg Pub do SENASP tomar a frente do problema e comecar a interferir nisso. O mercado ta subjulgando os clientes de aviacao. O Estado precisa regular isso. Existem varias formas, uma delas e fazer um registro de preco para os variados tipos de aeronaves.. Isso evitaria que um helicoptero basico vendido para um estado custasse mais que outro helicoptero igualvendido para outro estado. Responder
  • Claudio disse: agosto 30, 2010 às 08:48 pm
    Parabéns aos órgãos que vão operar estas máquinas!!!! Vamos variar um pouco né? Responder
  • CAP PMPE ROMILDO disse: agosto 30, 2010 às 09:18 pm
    ACREDITO QUE O MOMENTO NÃO É DE CRÍTICAS A EMPRESA "A" OU "B", E SIM DE NOS CONGRAÇARMOS COM OS IRMÃOS DE GOIÁS FACE A VITÓRIA POR ELES ALCANÇADA. EM MOMENTO ADEQUADO, O SITE ABRIRÁ ESPAÇO SOBRE O ASSUNTO: HELIBRÁS / TURBOMECA. DESEJO A TODOS OS INTEGRANTES DOS GRUPAMENTOS AÉREOS DE GOIÁS, QUE NOSSO DEUS ILUMINE VOSSOS VÔOS. CAP PMPE ROMILDO - ASP 92. Responder
  • MAJ GONÇALVES disse: agosto 30, 2010 às 11:15 pm
    Prezados blogueiros, O Governo Federal tem incentivado a livre concorrência de todas as empresas, sejam fabricantes ou representantes de aeronaves no Brasil. A aquisição de Goiás, é mais uma prova disso, que quando se compete, consegue-se bons resultados, nestes dois anos o aparente monopólio da Eurocopter no Brasil é simplesmente porque a nossa modalidade de compra de aeronaves, sugerida pelos órgãos de controle é o pregão, ou seja, o menor preço, assim, em via de regra, uma empresa que monta suas aeronaves no Brasil, faz projetos off set, tem um preço melhor do que as representantes que não possuem um poder maior de negociação na hora do pregão. Meus caros, isso é comércio, nestes dois anos este monopólio acabou no que tange aos processos licitatórios, o problema agora são as representantes das aeronaves extrangeiras, olhar para o Brasil e investir no país, o que me parece, é o caso a Oceanair, que venham as outras, pois todo mundo ganha com isso. Teremos um pregão neste mês de setembro, para seis categorias de aeronaves de asa rotativa, na modalidade de pregão presencial, em sistema de registro de preço, possibilitando todas as empresas participarem. Fizemos audiência pública adequando as sugestões das empresas e dos operadores e agora vão para o menos preço. A regra ainda é essa e vamos avançando, não vamos mudar cultura de uma hora pra outra, tudo ocorrerá de forma gradativa e constante. É isso, um abraço a todos Maj Gonçalves Presidente do CONAV SENASP-MJ Responder
  • Rodrigo Duton disse: agosto 31, 2010 às 08:29 am
    Prezados amigos da Aviação de Segurança Pública, O Estado de Goiás merece todo o nosso reconhecimento pela PERSISTÊNCIA e INOVAÇÃO nos modelos de helicópteros a serem empregados na sua aviação policial e de defesa civil. Trata-se, ao meu ver, da QUEBRA DE PARADIGMAS! Mudar CULTURA é muito difícil e Goiás e outros Estados estão conseguindo! Durante décadas comprou-se basicamente um mesmo modelo de helicóptero para a aviação policial e de defesa civil, o AS 350 Esquilo. No final de 2005, o Corpo de Bombeiros do DF adquiriu um bimotor EC 135. Consta que o Estado do Maranhão recentemente comprou também um bimotor EC 145, a ser entregue ainda em 2010. Agora Goiás compra seus Koalas. Perceberam? Estamos mudando uma antiga cultura de comprar sempre o mesmo modelo de aeronave. Independente do fabricante, quem ganha com essa diversidade e multiplicidadde de modelos em operação no país somos nós, operadores, pois teremos mais know how para debater sobre esse ou aquele modelo, suas limitações, sua melhor performance, etc. Corroborando o que disse o Presidente do CONAV, Maj Gonçalves, que continuemos a apoiar a LIVRE CONCORRÊNCIA e deixemos que os fabricantes disputem comercialmente nossa fatia de mercado, oferecendo-nos seus melhores produtos com os melhores preços! Bons voos a todos! MAJ PMERJ Rodrigo Duton - PCH Grupamento Aéreo e Marítimo (GAM) P.S.: Gostaria apenas de ver Goiás e outros operadores de Segurança Púbilica adquirindo mais helicópteros BIMOTORES, notoriamente MAIS SEGUROS que seus similares monomotores. Isso, por óbvio, não tira o brilho da conquista do Estado de Goiás!! Responder
  • Vitor Hugo disse: agosto 31, 2010 às 09:01 am
    Gostaria de parabenizar aos colegas Policiais civis, Policiais Militares e Bombeiros Militares do estado de Goiás pela excelente aeronave... Tenho certeza que todos ganharão com essa aquisição e pela diversificação do equipamento hoje tido como "parâmetro" pelas forças de segurança pública. Um abraço a todos e bons voos. Responder
  • Maj Coelho disse: agosto 31, 2010 às 09:48 am
    Em primeiro lugar parabenizo os colegas, pela iniciativa, que se bem observado foi uma briga das empresas, pois, pelo edital poderiam ambas. A que a principio ganhou o certame é uma fabricante que deste modelo, tem apenas duas no brasil, então é natural ter um preço mais baixo. O grande dilema é qualidade preço e assistência técnica (manutenção), mas a princípio os custos operacionais do Koala são bem mais altos por enquanto, e a demora é por que querendo ou não querendo a linha esquilo dominou o mercado mono pela sua qualidade, confiabilidade, versatilidade, até no mercado americano os pedidos são grandes. Agora queres ter rápido pede B3 ou B4 tem de rodo, principalmente o B4. Responder
  • AvSegPub disse: agosto 31, 2010 às 12:24 pm
    Não é bem assim. Vamos abrir o olho, pessoal. Vou trazer um pouco de polêmica, porque acredito que existam outros pontos que também poderiam ser analisados, mas que aparentemente estão passando desapercebidos. Todos sabemos que a Helibras só não levou a licitação porque não quis. Dispensou como se para ela não fizesse falta. Optou por não assumir o compromisso de entregar os helicópteros até o final do ano e aproveitou a oportunidade para dar uma lição no estado. Um gesto claro de que a empresa decide para quem vender e como vender. Se ela (Helibras) quisesse de fato, teria levado. Daria um jeito de adiar as entregas de um ou outro cliente particular (como costuma fazer) e pronto. Uma empresa que diz que vai entregar até o final do ano mais de 40 helicópteros, entregou até o momento 20 e poucos, não teria condições de fazê-lo?! Sinto muito aos que acreditam neste disparate, mas a mim não convence. Além do mais, poucos dias atrás ela venceu (mais uma vez sozinha) a licitação de Alagoas. Agora, vai fazer de tudo para que o Estado de Goiás não consiga investir o dinheiro e a empresa saia ilesa na história, como se tivesse avisado ao Estado. E o pior: essa tentativa de manipulação barata e covarde acontece com todos os Estados e vai continuar acontecendo enquanto o mercado não for aberto. Se me permite, prezado Paulo Dantas, discordo quando se indignou com a prepotência da Helibras. Pelo contrário, acho que colocaram tanto poder em suas mãos que ela pode e pode muito. Vide as circunstâncias em que foi "permitida" a entrada da Agusta na Aviação de Segurança Pública. Sinceramente, para o bem da Aviação de Segurança Pública, espero que a OceanAir tenha reais condições de segurar essa bomba. Na minha opinião, a grande confusão que o Estado de Goiás gerou acabou sendo a razão de toda essa situação. Desculpe a sinceridade, mas não havia visto nenhum processo para aquisição de helicóptero tão confuso. Talvez seja o motivo do contrato não ter sido outorgado ainda. A empresa, por outro lado, corre o risco de vender e não receber. Porque, se não me engano, caso não consiga entregar os helicópteros no tempo pré-estabelecido (pouco mais de quatro meses), o recurso será totalmente devolvido ao Governo Federal e a empresa sujeita ao não recebimento do valor contratado (alguém confirma essa informação, por favor). Reparem bem nos termos aos quais uma empresa (que não a Helibras) teve que se sujeitar para poder comercializar seus produtos para a Aviação de Segurança Pública. Chega a ser humilhante. Para finalizar, não se esqueçam também que isso é mercado, nada sai assim tão barato. O Estado de Goiás vai pagar cada centavo da diferença, não se iludam. A diferença é que não terá o Governo Federal ao lado. Pelo que tenho conhecimento estas serão as primeiras aeronaves da Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil do estado. Espero, de fato, que estejam preparados financeira e tecnicamente para mantê-las e utilizá-las da melhor maneira possível. Apesar de tudo, parabéns ao Estado. Responder
  • Rodrigo disse: agosto 31, 2010 às 03:24 pm
    Parabéns aos colegas de Goiás pela aquisição! Desejo sucesso nas missões e espero sinceramente que as Empresas envolvidas na venda, em especial a própria Agusta, aproveitem a oportunidade para mostrar a todo mercado Nacional um bom equipamento de fato, e um pós venda descente, diferente do que a Helibrás pratica até hoje, confiante em seu monopólio... Responder
  • Julio da Costa disse: agosto 31, 2010 às 03:35 pm
    O Rodrigo está certo. Qual será o melhor pós venda? Helibrás!!?? Responder
  • osvalmir carrasco disse: agosto 31, 2010 às 04:40 pm
    Como membro da comissão mista de aquisição dos helicópteros de goiás, gostaria de agradecer as palavras de incentivo de todos os companheiros da Aviação de Segurança Pública e também as críticas pois delas extrairemos grantes lições. É certo que a simples repercussão da notícia em nosso meio, por si, demonstra a insatisfação e até indignação com a contição atual do mercado brasileiro. O fato é que nos focamos em executar o convênio adquirindo as máquinas melhores possíveis. Erramos muito, mas aprendemos o suficiente com as várias "jogadas" do mercado. A aqueles que desejarem obter um pequeno resumo dos acontecimentos sugiro a leitura do referido acórdão do TCU de 24/08/2010, no entanto, consideramos que vencemos uma batalha, nos resta toda uma gerra pela frente. Pouco sabemos sobre o KOALA, é grande a expectativa relacionada a manutenção, pós venda, adequação as missões policiais e de defesa civil, ETC. Quando passarmos a operar, respondo tais questionamentos... Por hora, gostaria de dizer apenas que o embrólho causado em nossos procedimentos licitatórios foram provocados pela área política, a partir do momento em que deixou-se a área técnica trabalhar as coisas fluíram. Desculpem o desabafo... Na escuta! Obricado. Delegado PCGO- Osvalmir CARRASCO. Responder
  • Ralf Kanitz disse: agosto 31, 2010 às 06:43 pm
    Parabéns pela aquisição e boa sorte...que Deus continue iluminando as suas ações,abraços. Responder
  • Cap PMAL Assunção disse: agosto 31, 2010 às 07:58 pm
    Parabéns aos que fazem a Aviação de Segurança Pública no Estado do Goiáis, estamos em fase de encerramento do certame licitatório em nosso Estado e estamos sentindo na pele o que os companheiros de Goiáis passaram, toda o estresse e ansiedade. Parabéns pela aquisição das aeronaves, e realizem muitos e bons voos. Responder
  • Luis disse: agosto 31, 2010 às 10:57 pm
    Caros Amigos a POLICIA MILITAR RGS BRIGADA usa um MAC DONNEL DOUGLAS MD 500 E DESDE 1989 VEIO A AERONAVE NOVA DOS USA USAM NO POLICIAMENTO OSTENSIVO E COMBATE A CRIMINALIDADE E SALVAMENTOS O FAMOSO PP EJA GUAPO DA BM RGS ! HOJE NOS USA A FAMILIA MD TEMOS MD 600 NOTAR , MD 600 LONG NOTAR , MD EXPLORER FAZEM SUCESSO NAS POLICIA DOS USA E NO MUNDO ! QUANTO MAIS MARCAS DE AERONAVES POLICIAIS MELHOR PARA AS AGENCIAS DA LEI NO BRASIL ! VEM AI A COPA DE 2014 OLIMPIADAS AERONAVES POLICIAIS COM FAROIS DE BUSCA E FLIR E ESSENCIAL PARA APOIAR OS POLICIAIS EM TERRA ! Responder
  • Alberto disse: setembro 02, 2010 às 10:19 am
    Mim concordar com você. Responder
  • Mauro Ferrari disse: dezembro 21, 2010 às 03:49 pm
    mec ferrari 21/12/2010 Sou mecânico de Helicópteros desde 1975, fiz a curso do hel.esquilo em 1981.Trabalhei na Amazonia por mais de 20 anos com o helicópero Esquilo,helicóptero poli-valente .Os voos iniciavam as sete horas da manhã e terminava as 17:30 horas vi pilotos voarem mais de nove horas fazer mais de 150 pousos fazendo carga externa Só tem uma coisa que estraga o esquilo, os franceses.Mas o tempo passa e hoje sou mecanico do hel Koala helicoptero sensacional,é um outro perfil de hel para trabalhar ate mais fácil vamos assim dizer Parabéns ao Estado de Goiás por adquirir essas aeronves com certeza os pilotos vão adorar e tambem os mecanicos é claro porque sem nós helicóptero não voa.Um abraço a todos mecânicos de hel e pilotos. Responder
  • Aviação-DPRF disse: abril 08, 2011 às 07:11 pm
    Parabéns aos policiais e bombeiros do estado de goiás pela aquisição. Não tenham medo do novo desafio, pois o maior voçês enfrentaram: o monopólio da Helibras. Posso falar com muita propriedade, pois temos 04 aeronaves EC 120-Colibri na frota e as dificuldades, em 10 anos de operações, foram gigantescas quando nos referimos a fornecimento de peças e apoio ao cliente. Ate a presente data a empresa não tem homologação para um simples reparo de pá no citado modelo e não autoriza nenhuma oficina no Brasil a fazer. A linha Eurocopter é deficiente no pós venda, perguntem aos operadores do EC 135 e tirem suas conclusões. Todos os nossos as aeronaves tiveram perda prematura de performance do motor e nenhum conseguiu voar até o TBO previsto, mesmo com as aeronaves utilizando separador de partículas e voando apenas em patrulhamento e instrução. O que precisamos é coragem para sermos verdadeiros e enfrentarmos qualquer tentativa de monopólio de forma efetiva. Nada poderia ser mais fácil do que os membros da comissão mista do estado de Goiás, tremer e trepidar a caminho da falência e da ruína, mas foram sábios e invencíveis. É necessário tempo para que os novos equipamentos produzam os efeitos desejados, mas eles surgirão na mesma proporção dos esforços empregados pelos nobres operadores. Sucesso a todos que fazem a aviação do estado! Aos céus e além... Responder
  • Jose Lins disse: janeiro 16, 2012 às 12:02 am
    O A119 Koala exibe tecnologia avançada e atual. É rápido, econômico, tem baixo custo operacional, é super seguro, tem excelente apoio logistico e atende plenamente as demandas de apoio policial, segurança publica e resgate aeromedico. Por outro lado, o esquilo representa tecnologia dos anos 80. A linha EC, representa tecnologia dos anos 90 e nao dispoe de autonomia suficiente para atender as longas distancias do nosso pais. AS e EC foram feitos por franceses para voar na França. ( eles esqueceram que o mundo é maior que o umbigo deles). Por fim, observem quem opera o Koala no mundo e pesquisem quem opera a familia EC ou AS e tirem suas proprias conclusoes.... Quanto a Licitacoes Publicas - esta lei 8666/93 mais atrapalha que ajuda. Nao evita fraudes nem corrige distorçoes. Politicos e Agentes Públicos.....uni-vos e substituam essa Lei ! Tenho dito! Responder
  • Diogenes Casagrande disse: janeiro 05, 2014 às 11:00 am
    O final desta história ninguém contou aqui. Os helicópteros só foram postos em operação em outubro de 2011, 10 meses depois do prazo. E no dia 08 de maio de 2012, um deles caiu, matando 8 pessoas, trazendo luto a toda a comunidade de Segurança Pública do pais. Apesar de não termos acesso ao relatório final do acidente, sabemos que a empresa contratada para prestar as manutenções estava suspensa pela ANAC por falta de documentação. Dai, explica de novo que eu não entendi ??? Responder

Deixe um comentário

Não serão publicados comentários de autoria anônima.

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência