Competição Nacional de Tripulantes Operacionais de Segurança Pública

Anúncio

Durante o Encontro Nacional de Aviação de Segurança Pública e Defesa Civil – ENAVSEG 2019, será realizado a primeira Competição Nacional de Tripulantes Operacionais de Segurança Pública voltada para profissionais de segurança pública da área operacional.

Nos dias 27 a 31 de maio acontecerá o Encontro Nacional de Aviação de Segurança Pública e Defesa Civil – ENAVSEG 2019, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

O evento tem a coordenação do Grupamento Aeromóvel da Polícia Militar (GAM/PMERJ) e do Serviço Aeropolicial da Polícia Civil (SAER/PCERJ), com apoio do site Piloto Policial, Agência Mkt18 e SAFRAN Helicopter Engines.

Este ano, além dos debates, também será promovida a Competição Nacional de Tripulantes Operacionais de Segurança Pública e a Competição Nacional de Mecânicos de Aeronaves de Segurança Pública.


Competição Nacional de Tripulantes Operacionais
de Segurança Pública


A Competição Nacional de Tripulantes Operacionais de Segurança Pública visa refletir a preparação e condicionamento técnico desses profissionais, em um ambiente técnico e complexo, onde o maior desafio será a capacidade de adaptação ao desafio proposta e a integração entre os competidores.

A competição irá propor a execução de uma série de atividades técnicas relacionadas às suas competências dos Tripulantes Operacionais, que tem a responsabilidade essencial de atuar de forma profissional e segura, com elevada capacidade de adaptação a novos cenários.

Competição Nacional de Tripulantes Operacionais de Segurança Pública

O objetivo geral desta competição esportiva é a busca da integração e formação de uma sinergia entre todos os tripulantes operacionais envolvidos com a atividade de Aviação de Segurança Pública do Brasil, fomentando a atuação de forma segura, mitigar riscos e inspirar novos tripulantes operacionais a se aperfeiçoarem continuamente.

A inscrição para a competição é voluntária e deverá ser feita em dupla, obrigatoriamente de profissionais da área de aviação de segurança pública com formação em curso de Tripulante Operacional ou equivalente.

Devido às características peculiares de cada tipo de operação de segurança pública, no momento da inscrição a dupla deverá selecionar quais provas irá disputar.

O prazo para as inscrições das duplas participantes é de 15 de maio de 2019. Caso o número de inscritos seja superior ao limite, será definido um critério de seleção aos inscritos pela organização.

A competição será realizada na cidade do Rio de Janeiro, iniciando-se no dia 28 de maio de 2019.

A divulgação do resultado das duplas vencedoras de cada prova será realizado no dia 30 de maio a noite no coquetel de encerramento do Encontro Nacional de Aviação de Segurança Pública e Defesa Civil – ENAVSEG 2019.

A premiação para as duplas vencedoras será divulgada em breve pelo evento.


PROVAS DA COMPETIÇÃO


Serão realizadas três provas práticas e avaliadas individualmente pela equipe organizadora. As dupla deverão escolher em quais provas irão participar no momento da inscrição.

O material e equipamentos necessários para a realização das provas, bem como os equipamentos que serão fornecidos pela organização da prova será informado aos participantes oportunamente.


Prova em meio líquido

A prova irá simular o ambiente de uma aeronave submersa com uma vítima presa em seu interior, devendo os competidores conseguir acesso a cabine e desvencilhar a vítima simulada, levando-a até a borda da piscina.

A prova será realizada em uma piscina com aproximadamente as medidas de 20m X 20m, profundidade mínima de 3m e máxima de 5m, contendo uma plataforma de salto.

A atividade se inicia com um sinal de apito, onde será acionado um cronômetro. A partir deste momento a dupla de competidores saltam da plataforma na piscina.

Após emergir o competidor nadará sentido a uma gaiola que estará submersa na piscina,
onde estará um boneco em seu interior simulando alguém preso no interior da aeronave.

Chegando até a vítima simulada, os competidores deverão soltá-la do cinto que está prendendo e trazê-la à superfície. O socorrista deverá conduzir esta suposta vítima para a borda da piscina através de técnicas de reboque.

Quando ambos os competidores tocarem na borda da piscina será dado um novo apito, travado o cronômetro e registrado o tempo total da dupla competidora.


Prova na base de trabalho vertical

A prova irá simular o salvamento de uma vítima de perfuração por arma de fogo (PAF na altura do tórax) através da simulação do desembarque da dupla de tripulantes competidores através da técnica rapel, de uma plataforma fixa. Os competidores (TOp 1 e TOp 2) deverão efetuar a descida equipados com uma mochila APH e uma mochila contendo uma maca.

Os competidores farão o APH protocolado para a PAF no vitimado, bem como toda a tratativa de manipulação para o transporte por McGuire, descrita minuciosamente no regulamento da prova a ser enviado aos competidores inscritos.

Toda a verificação de segurança individual e coletiva caberá a responsabilidade à dupla competidora, sob supervisão de fiscais de prova.

A marcação de tempo inicia com o sinal de apito para com o lançamento da
corda de rapel para a descida e finaliza com o ato dos competidores guarnecendo o
cabo guia permeado e conectado na maca após o sinal “CARGA PRESA, PARA CIMA!”.

Toda a segurança das conexões, nós e amarrações efetuados pelos competidores serão objeto de observação e avaliação.

O vencedor será a dupla competidora que fizer os procedimentos em menor tempo possível, sendo acrescentado uma determinada quantidade de tempo para cada erro ou procedimento inseguro que a organização observar.


Prova da modalidade tiro

A prova da modalidade tiro será efetuada em duas etapas.

Primeira etapa

Será montada uma pista de tiro prático em solo, que será brifada no dia da competição. A prova envolve diversos tipos de armamento, entre pistola, espingarda e carabina/fuzil.

As quatro melhores duplas da primeira etapa estarão aptas a prosseguirem para segunda etapa.

Segunda etapa

Será montado uma pista de tiro com alvos tipo balão e tipo metálico para tiro embarcado. A dupla irá guarnecer a porta da aeronave, e obedecendo a sinalização do tripulante a bordo da aeronave, irá efetuar os disparos nos alvos indicados.

A passagem de oportunidade será efetuada em altura e velocidade conforme indicado no briefing da prova.

Todo o armamento e munição de ambas as etapas serão fornecidos pela organização.

Infrações de regras de segurança no manuseio do armamento serão observadas e avaliadas com penalidade aos competidores.

O critério de classificação final será unicamente a pontuação obtida na segunda etapa da prova.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Excelente oportunidade de ampliar a visão sobre novas técnicas e tecnologias aplicáveis às missões SAR. Parabéns pela iniciativa. Fui TripOp do CAV PM SP (Base Praia Grande) hoje aposentado.
    Meus votos pelo sucesso e bom aproveitamento da oportunidade.
    “todo acidente pode (e deve) ser evitado”

Deixe uma resposta

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência

Os comentários não representam a opinião do Piloto Policial. Os comentários são de responsabilidade dos respectivos autores.

Comentários

comentários