Guarda-vidas e GRAer/PR usam novo equipamento de salvamento no litoral

Anúncio

O Grupamento Aéreo da Secretaria de Segurança Pública (Graer) e o Corpo de Bombeiros estão treinando equipes de guarda-vidas da Operação Verão para usar um novo equipamento no salvamento de vítimas de afogamento no mar ou em outros locais onde helicópteros não possam pousar ou se aproximar do solo.

O chamado “sling” é uma espécie de cinto acolchoado, feito de material resistente, que é fixado ao guincho do helicóptero para a retirada do guarda-vidas e de vítimas conscientes do local.

“O sling é mais versátil que o puçá (cesto em forma de rede) e dá mais agilidade e rapidez a um salvamento. É de uso fácil e ocupa pouco espaço no helicóptero”, disse o piloto e comandante do Graer, coronel Orlando Artur da Costa. Segundo ele, como o cinto é um pouco desconfortável, a utilidade do sling é maior para casos de resgate em locais próximos às unidades de atendimento a vítimas. Para trajetos mais longos, o puçá ainda é a melhor solução.

O sling é colocado pelas costas das vítimas, passando pelas axilas e saindo para frente e para cima, em frente ao rosto da vítima. Um segundo cinturão envolve o tórax e encaixa-se a um grampo de segurança. As duas partes unem-se acima da cabeça e são presas por um anel metálico (mosquetão) fixado ao gancho do guincho da aeronave. Ao ser içada, a vítima deve ser orientada a manter os braços flexionados para baixo, aumentando ainda mais sua segurança.

O capitão Dorico Borba, que comanda a subárea de Pontal do Paraná, com sede no balneário de Santa Terezinha, afirmou que o objetivo do treinamento é adaptar os guarda-vidas para a saída da aeronave e para a abordagem das vítimas com esse equipamento, que é mais prático para o uso diário. “Quando houver necessidade de salvamento com aeronave, serão destacadas essas pessoas para o salvamento. Elas transmitirão as informações aos colegas também”, afirma Borba.

O treinamento já foi ministrado para grupos de salva-vidas em Guaratuba, Matinhos e no balneário de Santa Terezinha, em Pontal do Paraná.

Para a psicóloga Rosangela Rocha, de 54 anos, que mantém casa de veraneio em Pontal do Paraná, presenciar o treinamento dos guarda-vidas aumenta a sensação de segurança no Litoral. “Neste ano percebemos bastante policiamento nas ruas e maior presença dos bombeiros, que têm mais postos nas praias. Tudo isso é muito bem-vindo”, diz ela. Rosangela reside em Araraquara (SP) e há três anos adquiriu um imóvel no Litoral paranaense, em busca de mais tranquilidade.

Confira as fotos:

Fonte Agência de Notícias do Paraná.

Fotos: Arnaldo Alves / AENotícias.

3 COMENTÁRIOS

  1. Seria possível postar mais fotos do equipamento? Gostaria de ver uma foto mais próxima, principalmente com a vítima sendo transportada.

    grato.

    Maj CBMERJ Michel
    ANAC 109837

  2. PARABÉNS AOS AMIGOS DO GRAER/PR , OS HOMENS DE RESGATE E SALVAMENTO PRECISAM MANTER-SE SEMPRE NA VANGUARDA DAS TÉCNICAS E SUAS APLICABILIDADES COM NOVOS EQUIPAMENTOS.
    COMBATE , RESGATE E SALVAMENTO.
    SGT ELIAS GTA/MA (FALCÃO NEGRO)
    ALUNO 17 DO IV CURSO DE PARAMÉDICO DE COMBATE GESAR/RJ

Deixe uma resposta

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência

Os comentários não representam a opinião do Piloto Policial. Os comentários são de responsabilidade dos respectivos autores.

Comentários

comentários