Segurança Pública participa do lançamento do VANT “Caçador” da Avionics Services

São Paulo – A empresa Avionics Services realizou o lançamento oficial do veículo aéreo não tripulado (VANT) “Caçador”, classe 4, no dia 30 de junho. O evento foi realizado no hangar da empresa no aeródromo municipal de Botucatu, interior do Estado de São Paulo.

VANT “Caçador”. Foto: Roberto Caiafa

Durante a apresentação das capacidades do projeto, destaque para o grande potencial em Missões táticas de inteligência pelas forças armadas, segurança pública, defesa civil, policiamento ambiental e agro negócio. O VANT “Caçador” é baseado no VANT Heron-1 (modelo da família Heron), desenvolvido pela empresa Israel Aerospace Industries (IAI). O tipo já se encontra em uso no Brasil há mais de 5 anos, sendo operado pelo Departamento de Policia Federal.

Todo suporte de manutenção e serviços é realizado pela própria Avionics no Brasil, o que favorece o pós-venda. O programa abre boas possibilidades de negócios nacionais e internacionais. Segundo João Vernini, presidente da Avionics, o mercado interno pode absorver de 15 a 20 sistemas até 2021 e para o mercado externo projeta vendas de 20 a 30 unidades no mesmo período de cinco anos.

Há 3 anos, a IAI e a Avionics Services trabalham em conjunto para estabelecer uma base industrial brasileira consistente no mercado de sistemas não tripulados. O processo incluiu transferência de tecnologia para garantir uma maior independência da indústria nacional e domínio dos complexos e avançados sistemas.

Segurança Pública participa do lançamento do VANT “Caçador”. Foto: Roberto Caiafa

A Segurança Pública participou do evento através da Defesa Civil do Estado, Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Federal. Pela Polícia Militar de São Paulo haviam representantes do Corpo de Bombeiros, Policiamento Ambiental, Grupamento de Radiopatrulha Aérea e Policiamento Territorial. A PM possui uma comissão que está finalizando estudo sobre o uso de VANT nas atividades de policiamento e de bombeiro. O Policiamento Ambiental e territorial já utilizam equipamentos de menor porte e o Corpo de Bombeiros realiza estudos para aquisição.

O VANT é um equipamento que vem sendo testado pela segurança pública. Atualmente são modelos menores, com menor alcance e autonomia, porém, no futuro serão equipamentos, nos seus diversos modelos, que serão muito úteis na área de inteligência, monitoramento, buscas, avaliação de catástrofes, em diversas operações típicas de bombeiro, operações policiais de grande envergadura, como reintegração de posse, rebeliões em presídios, manifestações, etc.

Outro produto que poderá interessar a segurança pública é um VANT da família Panther da IAI, ele é de menor porte e de asa fixa, porém possui três rotores sobre o equipamento que permite a decolagem e pouso na vertical, além de possuir trem de pouso. Por ser de asa fixa e permitir controle no pouso e decolagem, poderá ser um bom diferencial para operações em áreas urbanas.

Após as apresentações das autoridades civis e militares presentes, foi feito um voo inaugural com duração aproximada de 60 minutos. O Caçador sobrevoou a região da cidade de Botucatu e suas estradas, transmitindo as imagens para um telão no interior do hangar. A pilotagem dentro da cabine de controle também foi demonstrada durante o voo.

Pouso do VANT “Caçador”. Foto: Roberto Caiafa

Valores e curiosidades técnicas

Um sistema não tripulado completo é composto por três ARP Caçador, três imageadores aéreos MOSP (torretas giroestabilizadas), uma estação de controle e uma antena de comunicação ponto-a-ponto para cada aeronave. O treinamento de efetivos para esse pacote abrange pelo menos 6 pessoas e pode chegar a 30 milhões de dólares.

Um opcional estratégico é a antena satelital que aumenta de 300km para 1.000km o raio de ação do equipamento. Este recurso deverá estar disponível ao Governo Federal brasileiro após a entrada em serviço do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC).

A estação de controle móvel possui gerador e pode ser ligada a corrente elétrica 110V ou 220V trifásico, o que facilita a instalação. Também dispõe de baterias no-break, para-raios, ar-condicionado e aterramento. Cada cabine pode operar simultaneamente dois aparelhos, que demandam dois pilotos cada um. A estação de controle pode receber ainda um chefe de operações e mais um piloto.

A velocidade de estol do Caçador é de 50kt (um número surpreendente propiciado pelas enormes asas e sua aerodinâmica), e sua velocidade de cruzeiro ideal é de 65Kt, alcançando até 40 horas voadas ininterruptamente até uma altitude de 30.000 pés.

Confira as fotos do evento:

Fotos: Roberto Caiafa e Eduardo Alexandre Beni.

Deixe uma resposta

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência

Os comentários não representam a opinião do Piloto Policial. Os comentários são de responsabilidade dos respectivos autores.

Comentários

comentários