Você sabe porque o dia 03 de fevereiro é considerado pela FAB o dia da Aviação de Asas Rotativas?

Anúncio

A Força Aérea Brasileira (FAB) celebra, neste domingo (03/02), o dia da Aviação de Asas Rotativas. A data relembra o feito ocorrido em 03 de fevereiro de 1964, quando foi realizado o primeiro resgate em combate pela FAB.

A comemoração desse dia pretende enaltecer os feitos heroicos dos então 1º Ten Av Ércio Braga, 1º Ten Av Milton Naranjo, 3º Sgt João Martins Capela Junior e 3º Sgt Wilibaldo Moreira Santos.

Eles cumpriam uma missão de paz pela Organização das Nações Unidas (ONU) na República do Congo, e utilizando o helicóptero H-19 resgataram tripulantes e missionários prestes a serem capturados por rebeldes fortemente armados.

Aviação de Asas Rotativas. Aos rotores!
Aviação de Asas Rotativas. Aos rotores!

Como era o trabalho da FAB no Congo

A história do Congo é marcada por mais de vinte anos de guerra civil e disputa pelo poder entre milícias. Os missionários estavam espalhados em vilas no interior do país assolado pela Guerra Civil. Nos locais, eles ensinavam inglês e matemática para as crianças congolesas. Muitos destes religiosos foram mortos ou conseguiram fugir com a ajuda dos próprios moradores ou dos militares a serviço da ONU.

“O comandante decolava primeiro em um avião. Quando era dado o sinal, os helicópteros chegavam de assalto e pousavam no local escolhido. Às vezes pousávamos e já não havia ninguém. Não dava tempo para esperar os missionários chegarem ou então eles já tinham ido embora”, explicou o agora Brigadeiro do Ar Ércio Braga.

Os dias de missão foram intensos. Os pilotos realizavam dois a três resgates por dia. Os voos eram visuais, à baixa altura, com o suporte da carta de navegação.  A vegetação pouco densa, com árvores de até 20 metros de altura, facilitava a busca dos missionários e de suas famílias, mas deixava os helicópteros vulneráveis aos ataques das tribos da região.

Os nossos militares foram responsáveis pelo salvamento de mais de 100 missionários. O Brigadeiro Braga foi condecorado como herói de guerra pela ONU e homenageado pelo presidente dos Estados Unidos. “Receber estas homenagens foi a minha consagração como piloto de helicóptero na missão da ONU”, afirmou Braga.

A pane no helicóptero H-19 e o resgate dos tripulante e missionários

Naquele dia o então Tenente Aviador Ércio Braga voltava de mais uma missão de resgate de missionários e freiras, quando houve um problema mecânico com o helicóptero H-19 em pleno voo, na região de Katanga, no Sul do Congo.

O então Sargento Moreira ao lado do helicóptero da ONU. Foto: Arquivo Pessoal.
O então Sargento Moreira ao lado do helicóptero da ONU. Foto: Arquivo Pessoal.

O pouso forçado ocorreu em um local vulnerável, composto de árvores esparsas e de baixa altura. Em um dos outros helicópteros da Organização das Nações Unidas (ONU) estava o Tenente Aviador Milton Naranjo, que pousou em meio a tiros das tribos rebeldes para realizar o resgate. No final, todos voltaram em segurança, e a ação marcou o Dia da Aviação de Asas Rotativas na FAB.

“No dia resgatamos quatro freiras congolesas de uma vila em Katanga. Na volta, eu vi que vazou o óleo hidráulico e o motor ia parar. Antes que isso pudesse acontecer, eu pousei em um campo aberto. Os rebeldes vinham se aproximando e atiravam. Nós tivemos de abandonar o helicóptero, mas, antes, conseguimos retirar o combustível. Se o helicóptero explodisse, pessoas poderiam morrer”, conta Ércio Braga.

Em meio à tensão do resgate, os Sargentos João Martins Capela Junior e Wilibaldo Santos, de arma em punho,  davam cobertura à tripulação e aos resgatados. A poeira levantada com a aterrissagem castigava a visão dos militares, mas a garra e a vontade de que tudo desse certo foi maior. Todos saíram ilesos.

 

Helicóptero H-19 da ONU
Helicóptero H-19 da ONU

Dia da Aviação de Asas Rotativas da FAB

Essa missão real de Busca e Salvamento em Combate cunhou esta data como o Dia da Aviação de Asas Rotativas da FAB, por seu legado de bravura, desprendimento e espírito guerreiro, marcas indeléveis dessa Aviação.

Dia do Piloto de Helicóptero

Devemos lembrar que a Associação Brasileira de Pilotos de Helicópteros (ABRAPHE) comemora o dia 24 de fevereiro como o Dia do Piloto de Helicóptero, em homenagem ao heróis que atuaram no salvamento de pessoas do incêndio no edifício Andraus em 1972 na cidade de São Paulo. (Saiba mais: Os Heróis existem – O incêndio do Edifício Andraus)

Helicóptero Enstron pilotado pelo Comandante Cláudio Finatti sobre o Edifício Andraus.
Helicóptero Enstrom pilotado pelo Comandante Cláudio Finatti sobre o Edifício Andraus.

Fonte: Com informações e fotos de FAB e Revista Forças Armadas. Adaptação Piloto Policial.

Deixe uma resposta

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência

Os comentários não representam a opinião do Piloto Policial. Os comentários são de responsabilidade dos respectivos autores.

Comentários

comentários