Simpósio de Transporte Aeromédico realizado pela Airbus discute o futuro da atividade no Brasil

São Paulo – Nos dias 12 e 13 de junho a Helibras e a Airbus realizaram a primeira edição do Simpósio de Transporte Aeromédico. O encontro reuniu em São Paulo 104 profissionais que trabalham com atividades aeromédicas ou HEMS (Helicopter Emergency Medical Service), incluindo operadores dos segmentos civil, governamental, oil & gas, militar, autoridades e associações, como a ABAG.

helibras
Richard Marelli, Presidente da Helibras na abertura do evento. Foto: Eduardo Alexandre Beni.

O simpósio aconteceu no auditório da INFRAERO no Aeroporto Campo de Marte, em São Paulo e foram dois dias de palestras e demonstrações estáticas de aeronaves configuradas para essa missão, como os modelos AS365 da Air Jet, AS350B2 da Polícia Militar de São Paulo e um AS350B2 da Uniair Táxi Aéreo. O evento teve o apoio da Mapfre, Indumed, Air Jet Taxi Aéreo e as palestras em inglês foram traduzidas simultaneamente pelo tradutores Malcolm Forest e Raphi Kutchukian.

Atualmente discute-se uma nova legislação sobre o resgate aeromédico, especificamente sobre a Portaria Nº 2048/2002 do Ministério da Saúde e a Instrução de Aviação Civil – IAC 3134/1999 da ANAC. Uma infinidade de interesses surge para fomentar essa atividade explorada por poucas empresas de táxi-aéreo.

Atualmente a atividade aeromédica pública é realizada por unidades aéreas dos Corpos de Bombeiros Militares, Polícias Militares, Polícias Civis e Polícia Rodoviária Federal que possuem parceria com Serviços de Resgate e Atendimentos de Urgências das Secretarias Municipais ou Estaduais de Saúde.

Helicópteros em exposição no patio da INFRAERO no Aeroporto Campo de Marte. Foto: Eduardo Alexandre Beni.
Helicópteros em exposição no patio da INFRAERO no Aeroporto Campo de Marte. Foto: Eduardo Alexandre Beni.

O serviço aeromédico inter-hospitalar realizado por essas empresas é uma atividade privada, porém em alguns casos são contratadas pelo Estado para o atendimento público, como acontece no Estado do Paraná, através do CONSAMU – Consórcio Intermunicipal SAMU Oeste que utiliza helicóptero de uma empresa de táxi-aéreo para o transporte e resgate em vias públicas de enfermos.

A intenção do simpósio foi discutir o ingresso de empresas de Táxi-Aéreo no atendimento aeromédico público, como por exemplo, nas rodovias administradas por empresas que possuem concessões. A ideia é que esses serviços sejam contratados pelo Estado, ou que a legislação permita que essas empresas realizem esses serviços aeromédicos.

Outras questões relevantes discutidas no evento foi a infraestrutura de hospitais com capacidade para receber aeronaves e pacientes graves, possibilidade de pouso de aeronaves privadas em vias públicas e áreas não homologadas para realizar o atendimento aeromédico, treinamento de médicos, enfermeiros e pilotos, além dos debates sobre os modelos europeus que realizam o atendimento aeromédico.

Foram 09 palestras sobre temas diversos e dois debates, todos relacionados com a atividade aeromédica no Brasil e na Europa. O evento foi aberto por Richard Marelli, Presidente da Helibras e em seguida ocorreu a primeira palestra apresentada por Ralph Setz da Airbus.

Mauro Ayres, gerente dos mercados civil e governamental da Helibras atuando como moderador nos debates. Foto: Eduardo Alexandre Beni.
Mauro Ayres, gerente dos mercados civil e governamental da Helibras atuando como moderador nos debates. Foto: Eduardo Alexandre Beni.

Ralph Setz apresentou a experiência do fabricante no mercado aeromédico internacional e reafirmou a importância do transporte aeromédico realizado por helicópteros para um sistema de saúde sustentável e que, acima de tudo, salve vidas.

A segunda palestra do dia foi apresentada pelo Delegado Aristóteles Tavares e pelo Médico Paulo Arruda, ambos da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (CIOPAer) do Estado do Ceará que falaram sobre Operação de Resgate Noturno e equipamentos médicos utilizados pela unidade.

Em seguida o Comandante Egon Buttner da empresa Omni Brasil falou sobre “Transporte Aeromédico Dedicado – O&G” e o Dr Ricardo Accioly do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (SIATE) do Paraná abordou o tema “Implantação de Sistema Aeromédico Eficaz”.

O Coronel BM Élcio Alves Barbosa, Diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) apresentou do tema “Defesa Civil Nacional: Plano Anti-catástrofes – O papel do helicóptero e finalizando o primeiro dia de simpósio, os palestrantes participaram de um debate sobre o “Aeromédico como um Sistema Integrado sustentável”.

helibras5
Coronel BM Élcio Alves Barbosa, Diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad). Foto: Eduardo Alexandre Beni.

O segundo dia iniciou com a palestra do diretor da ADAC Training Academy, Thomas Gassmann, que discorreu sobre o cenário aeromédico na Alemanha, tendo como base as atividades da empresa, o maior operador alemão no segmento aeromédico com mais de 100.000 atendimentos por ano.

Após essa apresentação, o evento teve prosseguimento no Hangar da empresa Air Jet Táxi Aéreo no Aeroporto Campo de Marte. A retomada das apresentações começou com o Dr. Ricardo Galesso que apresentou tema relevante e importante para a viabilização desse novo modelo: “O arcabouço legal e regulatório do aeromédico no Brasil” e explanou sobre os desafios para sua compatibilização com o cenário atual e futuro.

Logo em seguida aconteceu uma breve apresentação do Dr. José Guataçara Correa Gabriel, Coordenador do SAMU Belém/PA, que falou sobre o Curso Aeromédico e Resgate em local de difícil acesso que ministra gratuitamente na Fazenda Paricuiã e mostrou o Centro de Treinamento Coronel Morais, onde os alunos são colocados à prova.

Dr. Ricardo Galesso em sua palestra no Hangar da Air Jet. Foto: Eduardo Alexandre Beni.
Dr. Ricardo Galesso em sua palestra no Hangar da Air Jet. Foto: Eduardo Alexandre Beni.

Representando a Polícia Militar de São Paulo, responsável pelo atendimento e resgate aéreo dos mais de 44 milhões de habitantes no estado paulista, o Coronel PM Carlos Eduardo Falconi ministrou a palestra “Resgate Público e Resgate Privado”.

Em seguida o Dr. Cristiano Nascimento e o comandante Marcelo Graciotti da empresa de Táxi Aéreo Air Jet falaram sobre a “Operação Aeromédica de Táxi Aéreo”. Ao final das palestras aconteceu novo debate, dessa vez foram discutidos os desafios do mercado aeromédico no Brasil, que teve como foco principal analisar os cenários que o setor irá enfrentar sobre legislação, investimentos, infraestrutura e preparação de profissionais para atuarem no setor.

Debate realizado no segundo dia do evento no hangar da Air Jet. Foto: Eduardo Alexandre Beni.
Debate realizado no segundo dia do evento no hangar da Air Jet. Foto: Eduardo Alexandre Beni.

A Filmagem, Edição e Finalização dos Vídeos das palestras tiveram a produção do Site Piloto Policial & Resgate Aeromédico (Evoluigi) em parceria com a AC Produções Cinematográficas. 

Saiba mais:

Fotos: Eduardo Alexandre Beni.

1 COMENTÁRIO

  1. Todo tema é empolgante, quando se trata de OASP, válido e enriquece a aplicação da atividade. Tratando-se de vidas a quem têm sido salvas e virão ser, entendo como necessário priorizar o interesse público, sempre.

Deixe uma resposta

- Saiba o que é trollagem: Cuidado com os TROLLS !

- Política de moderação: Política de moderação de comentários: sua consciência

Os comentários não representam a opinião do Piloto Policial. Os comentários são de responsabilidade dos respectivos autores.

Comentários

comentários